Existem, somente nesta galáxia (Via Láctea), dezenas de raças e sub-raças inteligentes, segundo relatos e teorias correntes no meio ufológico. Todas, no entanto, podem ser classificadas como humanoides, pois contam com membros superiores e inferiores, tronco e crânio, além dos sentidos e algo especial que as demais espécies não possuem — a chama racional.

Apesar de as demais espécies animais — e mesmo as racionais são animais — também contarem com membros, tórax e crânio com cérebro (principalmente os mamíferos), a eles falta, ainda, o desenvolvimento da Razão avançada, que consiste na capacidade de refletir, comunicar o conhecimento de si e da Realidade a outros seres, bem como de responder por suas escolhas diante de seres superiores.

Ainda assim, somos todos seres em evolução, alguns condenados à estagnação, mas com importantes funções na economia Universal. Isso não quer dizer que sejamos nós a escória da galáxia e outros alienígenas como que seres etéricos de “paz e amor”, como querem alguns bebedores de chás de cogumelo. Há padrões, há escolhas e há consequências. Simples assim. Somos animais, e como tais agimos, sofremos e trabalhamos coletivamente (ou em bando, se quiserem).

Segue abaixo a relação das mais bem conhecidas raças alienígenas.

1. Humanos da Terra

Sim, nós, terráqueos, somos alienígenas, pois nossa matriz genética, assim entendida, não se originou neste planeta, mas foi aqui semeada e desenvolvida por milhões de anos, trazida por civilizações avançadas desta galáxia. Através de vários estágios evolutivos e após várias civilizações, nosso DNA foi sofrendo interpolações de outros fragmentos de DNA alienígena (de outras sub-raças), até chegar ao Homo Sapiens sapiens, por volta de 5.000 a.C.

Ao contrário do que pensam alguns cientistas capengas, os primatas atuais não são nossos ancestrais, mas o produto degenerado de uma espécie humanoide que estagnou sua evolução. Eles são humanoides não evoluídos, e não os humanos que são primatas evoluídos. Prova disso é que os primatas terrestres não apresentaram nenhuma evolução significativa nessas últimas centenas de milhares de anos.

2. Grays

Também conhecidos como os Cinzas, são humanoides que vêm degenerando ao longo de alguns milhares de anos. Estão na Terra em busca de soluções genéticas para a continuidade de sua raça. Possuem corpo esguio, pele em tons acinzentados, olhos grandes e negros, crânio e membros muito maiords que seus corpos em proporção. Abaixo, fotos reais de cadáveres de grays, recolhidos ou capturados. Avalie você mesmo:

Contam com alta tecnologia, a maioria delas desconhecida dos cientistas da Terra, embora, segundo fontes verificadas, estejam transferindo tecnologia aos governos da Terra em troca de influência e livre acesso a material humano (para abduções e implantes de chips). Transitam facilmente pela 3a. dimensão (física) e a 4a. dimensão (astral), atuando, muitas vezes, como obsessores. Têm temperamento racional e frio, concentrando-se em atividades cietíficas. Não demonstram quaisquer emoções, desconhecendo as características da personalidade dita humana.

São fortes os indícios de que muitos de seus líderes tenham aparecido a civilizações terráqueas na Antiguidade, tendo sido adorados como alguns de seus “deuses” que desceram do Céu. Talvez, aqueles não fossem realmente grays genuínos, mas clones de grays servindo a outra raça ainda mais poderosa, a dos Reptilianos ou Draconianos.

3. Reptilianos (ou Draconianos)

Raça inteligente, com configuração física reptoide, constituindo um espécie rebelde e indesejada na Via Láctea e em todas as galáxias pelas quais passam. De galáxia em galáxia, para preservar sua integridade, a despeito de serem sempre expulsos ou contidos, se dedicam a ações puramente predatórias, exploratórias e de dominação. Como répteis, são frios, calculistas e extremamente cruéis, ignorando valores duais como bem/mal, certo/errado, etc. Vale a regra do que mais forte e do mais adaptado.

Arte suméria, representando um dos Anunnaki, ou os “deuses que desceram do Céu”.São eles que trouxeram as primeiras sub-espécies de répteis e anfíbios para este planeta, incluindo-se as dos dinossauros, que teriam sido extintos pela predação inconveniente a que estes estavam submetendo o planeta. Estiveram aqui em ondas sucessivas, em vindas e idas, tendo sido os últimos a chegarem os Anunnaki, casta reptiliana exilada de Draco (constelação de origem dos reptilianos deste quadrante da galáxia). Os Anunnaki (em idioma sumério, “aqueles que desceram do Céu à Terra”) eram chefiados por Anu (“Rei do Céu”), cujos dois filhos, Enlil e Enki, lutariam até hoje pelo controle do planeta, através de influência sobre os meios políticos, religiosos e econômicos.

De suas últimas experiências genéticas com os humanos da Crosta, começando há 200 mil anos e culminando há, mais ou menos, 10 mil anos, surgiu a civilização suméria pós-diluviana, com o repentino (res-)surgimento da Astronomia, Engenharia, Contabilidade, Medicina, ciência jurídica e das religiões semíticas. Para melhor entender esses fundamentos e a influência reptiliana primordial sobre nossa sociedade, leia o Livro de Enoque, a epopeia de Gilgamesh e o Enuma Elish (há boa traduções gratuitas para o português na internet).

Dificilmente são vistos na dimensão física, já que sua configuração genética torna sua forma instável em tais condições. Sua aparência física varia muito, com altura que vai de pouco menos de 2 metros a mais de 3 metros, em alguns casos chegando a quatro metros. Eles, sim, são os filhos dos deuses, citados em Gênesis, cap. 6 (também conhecidos como nefilim), que treparam com as filhas dos homens (fêmeas de humanos menos desenvolvidos) e que geraram os gigantes.

Representação de um líder reptiliano no Cinema.

Segundo relatos, todos possuem esporões nos pés, pele escamosa, olhos viperinos (pupilas verticais) de tons que vaariam do amendoado ao esverdeado, além de língua bifurcada. Cabe ressaltar que os membros da realeza reptiliana, principalmente seu Maioral, ainda apresentam pele mais clara que o verde habitual, um estrutura esporeada ao redor da cabeça (como uma coroa de pequenos chifres), longa cauda e asas como de dragão. Aliás, daí é que lhes vêm o nome da constelação da qual vieram, Draco.

Estão infiltrados em todos os estratos do poder Global, controlando-os de forma absolutamente implacável, sendo eles mesmos os Illuminati. Inclusive, a intolerância e crueldade se verifica entre eles mesmos, havendo relatos de duelos em que não há clemência e dos quais somente um sai vivo. São canibais, com os fortes comendo os vencidos, e têm especial predileção por carne humana, não dispensando jantares à base de crianças recém-nascidas, na maioria das vezes sequestradas nas maternidades, orfanatos ou entregues por suas mães.

4. Insectoides

Como o próprio distintivo indica, são de uma espécie evoluída a partir dos Insetos. Esses são raramente avistados, de pequeno tamanho. Seus crânios nos lembram os de formigas, porém com pele menos escura. Têm crânio, tórax e membros como os humanoides, mas muitos são flagrados em filmagens correndo sobre as mãos ou agachados. Segundo dizem alguns, não são agressivos como os grays, mas estão longe de serem pacíficos.

São encontrados durante as noites, em locais ermos, tais como florestas, redes pluviais subterrâneas, telhados de casas, vielas, túneis, etc.

***

Além destas citadas acima, há muitas outras, dentre as quais algumas muito evoluídas e pacíficas. São elas as sub-espécies humanoides evoluídas (em dimensões superiores, desde a 5a. à 12a., incluindo os supostos Andromedanos), as poucas castas répteis que lograram um alinhamento com as diretrizes de “boa vizinhança” nesta região da galáxia e algumas castas grays pacificadas (de ζ Reticuli).